0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

A compra de um imóvel costuma envolver todos os membros da família. É literalmente uma compra coletiva. Muitas vezes por insegurança as pessoas buscam a opinião de amigos e pessoas mais velhas da família como tios, pais e avós. Sem perceber, você acaba constituindo um “comitê de compra”. É assim que muitos corretores chamam aquele grupo de pessoas da mesma família que visita o imóvel que está à venda.

A opinião dos seus amigos

A tarefa de encontrar o imóvel dos sonhos é difícil, ele precisa atender as expectativas da esposa, do marido, dos filhos e dos amigos. As pessoas normalmente pensam no que os amigos irão achar do imóvel que acabaram de comprar Isto porque além de satisfazer necessidades básicas de habitação e segurança o imóvel também influencia na sua autoestima. Um imóvel novo pode satisfaz o seu desejo de ser importante perante os outros. Com tantos interesses em jogo a tarefa de escolher um imóvel é demorada, angustiante e estressante.

O corretor estuda a sua família

O medo de tomar decisões erradas gera conflitos e discussões na família. As vantagens e as desvantagens no ponto de vista de cada um precisam ser debatidas. Cada membro do “comitê de compra” possui suas opiniões e uma função bem definida. Quando você inicia a negociação de um imóvel com o corretor contratado pelo proprietário, este tenta identificar a função de cada membro da família na decisão de compra.
Existem livros para treinamento de corretores que classificam os membros da sua família da seguinte forma:

  • Iniciador – é a pessoa que inicialmente tem a ideia de comprar um imóvel. Um exemplo seria a dona de casa que enfrenta problemas de espaço em um apartamento pequeno depois do nascimento do segundo filho. Este membro insatisfeito busca convencer todos os outros sobre necessidade de mudança.
  • Vigia – É o nome dado ao familiar que fica responsável por procurar informações sobre os imóveis, como comprar imóveis, como financiar, pesquisa de preço, localização, etc. Ele coleta informações na internet, nas imobiliárias e compartilha as informações com o resto da família.
  • Influenciador – Este é o familiar que tenta interferir na decisão de compra. Pode ser um tio, pai, sogro, avó ou até mesmo um amigo que tenha algum tipo de experiência ou que possua uma opinião importante. Nem sempre esta pessoa irá morar no imóvel.
  • Comprador – Não é obrigatoriamente a pessoa que vai morar no imóvel. Pode ser um pai comprando o imóvel para um filho. Também pode ser uma pessoa mais velha e mais experiente que é chamada apenas para negociar e fazer a compra. O comprador pode não ser o dono do dinheiro.
  • Usuários – São as pessoas que efetivamente vão morar no imóvel comprado.

Opinião de pessoas externas

Eu sempre recomendo que exista no seu comitê de compra uma ou mais pessoas externas. Pode ser um amigo ou um parente que não more na sua casa. O objetivo seria pegar a opinião de pessoas que não estão envolvidas emocionalmente com o negócio. Como o dinheiro não é da pessoa, não é ela que vai morar no imóvel, não é ela que está com a cabeça cheia de expectativas e sonhos, é possível que ela consiga enxergar desvantagens e problemas no imóvel e nas condições do negócio. Muitas vezes estes problemas podem ser motivo para inviabilizar a compra.

Emoções podem atrapalhar

Quando você vai fechar um negócio imobiliário é importante não estar emocionalmente preso ao imóvel. Você visita o estande de vendas, aprecia a maquete, entra no apartamento decorado, assiste os comerciais na televisão e começa a sonhar, imaginar, e isto vai gerando um processo muito parecido com a paixão. Você acaba ficando apaixonado pelo imóvel. E isto é um problema. Como você já sabe a paixão é um sentimento que cega. A paixão faz você desejar o imóvel acima de todas as coisas, é um sentimento totalmente relacionado à possessividade e a satisfação imediata.

Sabotagem mental

Quando compramos um imóvel podemos mergulhar em um processo de sabotagem mental e com isto não conseguimos aceitar os pontos fracos do negócio. Você começa a supervalorizar os pontos fortes e dar menos importância para os pontos fracos. As pessoas começam a racionalizar e buscar justificativas lógicas para amenizar os problemas e fechar o negócio rapidamente. Ainda existe o problema da visão seletiva, você perde a capacidade de enxergar os pontos fracos do negócio porque só percebe as vantagens.

Influenciador externo

Por tido isto é importante a figura do influenciador externo no seu comitê de compra de imóvel. Aquele seu amigo ou parente que não possui qualquer relação afetiva, mas já comprou e vendeu algum imóvel pode avaliar o negócio de forma mais racional. Quando a pessoa não possui este amigo mais experiente pode contratar profissionais externos como um advogado que tenha capacidade de analisar os documentos do imóvel, documentos dos proprietários, imobiliária, incorporadora, construtora e verificar a legalidade das cláusulas do contrato de compra e venda. Na dúvida quanto à qualidade do imóvel, materiais, projeto é interessante contratar um engenheiro ou arquiteto para emitir um parecer.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×
Share →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×